quinta-feira, 28 de abril de 2011

O Homem em evolução - pré história

O surgimento do homem. No texto apresentado não pretendo mostrar relação entre homem e macaco, mas levanto algumas questões da evolução do homem com o mesmo. Reconhecido por Aristóteles de que a estrutura do corpo humano tem maior semelhança com macacos e gorilas, considerados por Lineu como de mesmo gênero-Homo e Símia. A questão em colocar o homem e macaco no mesmo gênero não difere em que um evolui do outro, ou que ambos vem de um ancestral comum; apenas se equiparavam em níveis de complexidade e perfeição de seus corpos. Lamarck e Darwin foram os primeiros que conceberam e reconheceram o homem advindo de ancestrais animais. Nos anos de 1863(Huxley e Vogt), 1866-74(Haeckel) extraíram provas que colocavam o homem juntamente com os macacos, gorilas e lêmures na ordem zoológica. Apesar de serem aceitos ate hoje, as mesmas se encontram exponencialmente aumentadas. Apesar de esquemas sugeridos por Simpson(1953),que faz do homem uma família separada,Heberer(1956) para englobar as subfamílias,são os primeiros a reconhecerem que o nenhum esquema altera a estrutura do assunto ,de que o homem é um primata.Estamos certos de que o homem passou por estágios evolutivos,mas é um problema traçar todo esse processo evolutivo do homem e seus parentes durante a história da terra.Vários pesquisadores dedicaram-se inteiramente a história do homem,através da paleontologia,arqueologia entre outras ciências,acumulou-se bastante conhecimento sobre o homem.Muitos dos estágios a cerca do homem são intrigantes.Certamente viram novas descobertas que revolucionaram nosso saber.

Provas da evolução humana. O homem é parente de todas as formas de vida, Lamarck e Darwin não pouparam esforços para provar isso. Bem sucedidos em suas afirmações, as provas de seus respectivos sucessos fazem parte da biologia elementar.

Provas da anatomia comparada. Em comparação com a estrutura do corpo do macaco, cada osso do corpo humano, corresponde a um osso no corpo do macaco. Alguns desses ossos se diferenciam de tal maneira, que podemos determinar uma espécie a partir do mesmo. O homem compartilha com o macaco vários traços de sua evolução, interessante apontar que alem de características físicas, também vemos características e costumes mentais, tais elas como: predominância do macho sobre a fêmea, cuidados maternos em excesso, ausência da estação de acasalamento etc. Supostamente, o homem seria único com as tentativas de encontrar algo que estivesse ausente no corpo de outros primatas, sem sucesso algum nestas tentativas. Assim como as diferenças entre uma espécie de gorila e outra, ocorre o mesmo com o homem.

Provas da embriologia. Segundo a lei de Baer, mais tarde transformada por Haeckel na lei biogenética, afirma que embriões jovens se parecem um com os outros e à medida que se desenvolvem se tornam diferentes. Assim a lei esta errada, embriões não parecem com a forma adulta de outros animais, e sim com os mesmos de sua espécie. Assim como os adultos sofrem mudanças, o mesmo ocorre com os embriões, ambos passam por mudanças e se adaptam ao ambiente, isto os tornam bem sucedidos em suas funções biológicas. Muito a respeito do desenvolvimento humano não tem sentido, exceto com a admissão de condições ancestrais remotas.

Provas dos vestígios. Se usarmos como exemplo, os músculos do corpo humano, que corresponde aos mesmos dos gorilas humanóides, podemos afirmar que são estruturas herdadas de nossos ancestrais. Podemos também questionar o porquê do não desaparecimento de certos órgãos com a evolução. O desenvolvimento é independente e tende a ser mantido por longos períodos, durante a evolução.

Provas da fisiologia, genética e sorologia. Células humanas podem ser encontradas em células diferentes, funções corporais podem ser encontradas em vários animais. Homem e organismos são conseqüências de hereditariedades.

Os primatas vivos. A trajetória do homem desde o inicio ate os dias atuais são cercados de hipóteses e duvidas sobre a evolução, de qual primata evoluímos, se realmente foi de um primata etc. Se levanta a hipótese que o homem vem de um animal que deu origem às lêmures, macacos, gorilas e conseqüentemente ao homem. A cerca de todas essas duvidas, surge uma resposta e que nosso ancestral foi um gorila que abandonou a vida nas árvores e se adaptou ao solo. Outra hipótese é de que, o homem veio de um animal semelhante ao tarseiro, e se desenvolveu independente, do que veio a conduzir os macacos e gorilas. Significa dizer que toda nossa semelhança com os símios foi adquirida independente, por evolução paralela.

Irreversibilidade da evolução. Pode uma evolução ser perdida sem deixar vestígios?Cada espécie é especializada em alguma coisa, tarseiro para vida noturna em florestas, o homem para cultura, o gorila para locomoção braquiante etc. Então por que não encontramos vestígios de nossos ancestrais presentes no corpo humano?É reversível a evolução?Sim, em seu aspecto mais simples ela é reversível. Levemos em conta o ambiente em que determinada espécie vive,passe por mudanças climáticas,pode a espécie sofrer mudanças genéticas para se adaptar ao novo clima,e podendo voltar ao que era se assim for necessário.Não quer dizer que voltar a se readaptar ao antigo clima seja mais difícil,vai depender da matéria-prima genética ,na qual a seleção natural possa agir.A readaptação pode ocorrer de duas maneiras,primeiro se os antigos genes que antes eram adaptados a um certo clima do ambiente existirem,podem agora serem selecionados,o conjunto voltara ao que era.Um exemplo são as moscas da espécie Drosophila na Califórnia,em determinadas épocas do ano sua espécie se altera e depois volta ao que era.O retorno do antigo ambiente pode encontrar a espécie tão alterada que não é mais o mesmo que volta ao ambiente,então a readaptação será construída a partir de novos materiais.A menos que seja aceitável a suposição de que o homem tenha abandonado sem deixar vestígios de sua locomoção braquiante e substituída por outras adaptações.Não devemos colocar essas opiniões em julgamento,são conciliáveis apenas com descobertas de fósseis.Mesmo com novas descobertas,ainda estarão sujeitas a novas avaliações,que pode não eliminar diversas opiniões

Primatas fósseis não-humano. A busca humana pelo seu passado é incessante, isso traz vantagens e desvantagens. À medida que o homem procura fósseis, a velocidade de descobertas cresce. Um problema com isso é que a medida de novas descobertas, dando um nome de espécie, causando alguns problemas como, tratar gênero como espécie. As subdivisões do tempo geológico se relacionam com a evolução da ordem dos primatas. A descoberta de vários fosse a épocas diferentes, prossimios e tarsoides, que deixaram quantidade relativa de fosseis no paleoceno e eoceno, Parapithecus encontrados nas camadas inferiores do oligoceno. Na metade do terciário a evolução estava em processo rápido. No mioceno,numa ilha do lago Vitória ,na África equatorial,encontraram um crânio incompleto e deformado.Julgando a estrutura dos dentes e o crânio,pertencia a família dos gorilas,mas tinha características com o macaco,este fóssil foi dado o nome de Proconsul.Se interpreta que o Proconsul não desenvolvido venha a locomoção dos gorilas atuais, ou seja, a braquiante.Provavelmente se deslocavam sobre as quatro patas.Apesar de estar próximo do ancestral,tanto dos gorilas,quanto dos hominídeos,é pouco provável que ele tenha sido,no miocenio e pliocenio existia uma subfamília ,Dryopithecinae dos pongideos.Seus fragmentos foram encontrados nos mais diversos lugares,desde a Europa ate a Índia.Vários gêneros e espécies foram atribuídos a esta subfamília,de início pode causar uma grande confusão,ma s o fato é que durante a segunda metade da era terciário ,hominídeos ,em especial o grupo do gorilas,estavam sofrendo varias mudanças evolutivas.Certamente ,eles não eram iguais aos macacos modernos,os ossos de suas pernas afirmam que algum deles não haviam adquirido o habito braquiante.Encontrado em 1856 na Toscana,Itália ,em camadas ora mioceno superior,ora do pliocenio inferior,tido como Cercopiteco.Hürzerler(1958),julga que seus dentes quanto seus ossos do braço,tem características humanas,que o mesmo deve ser classificado na família dos hominídeos ,não a dos gorilas.Pode ser apenas uma hipótese,mas se for comprovada, poderemos afirmar que nossa linha de evolução separou-se do que produziram os gorilas a pelo menos 11 milhões de anos.

O Australopithecinae. Em 1924, foram encontrados os mais importantes fosseis no continente africano, na áfrica do sul por Broom, Dart Robinson, Leakey entre outros. Pertencentes a uma subfamília, Australopithecinae. Posta por Simon (1945) nos pongideos, e Heberer (19459a; b), coloca-a nos hominídeos, como podemos ver, são opiniões divergentes. Com a descoberta do Australopitecos,um dos “elos” perdido entre o homem e o que lhe deu origem.Mesmo não sendo um ancestral direto do homem,podemos considerar sua ligação com o gênero do homem.Descoberto por Robinsom(1954) na África do Sul,restos de 65 a 100 Australopitecos.Apesar de sua idade geológica não ser certa,é provável que darem do Valfranquiano,que é a parte mais antiga do pleistoceno.Com base nas eras e suas datações o Australopitecos preencheria certo espaço em nossa história.Se por outro lado,for verificado que ele é mais recente,então poderemos dizer que são apenas contemporâneos dos hominídeos.O Australopitecos provavelmente tinha postura ereta,confirmado por sua pelve e um osso do pé,que mostra suas características hominídeas.Sua dentição mais próxima do homem que a do gorila.Porem possuíam cérebros pequenos e a forma do crânio não era humana.Levando em conta seu crânio,de inicio de foram considerados um tipo de gorila.Embora não tenha convencido a todos,a descoberta de serem bípedes aproximaram-nos mais aos hominídeos que a qualquer gorila conhecido.Também foram descobertos seus ossos,então somente são o ponta pé de nossa história,como também foram os primeiros criadores de ferramentas.Embora com todas essas atribuições de espécie e gênero,não há provas de que tenha existido mais de três espécies de um único gênero.Apesar de boa parte de seus fosseis terem sido encontrados na África do sul,Leakey(1959,1960),encontrou restos em Tanganica.Encontrado em Java por Koenigswald,uma mandíbula com três dentes,que pode ser representado como Australopitecos,caso for verdade,significa dizer que o Australopitecos viajou bastante e que existiram por bastante tempo.
O homo erectus e seus parentes. Encontrados na Ásia Oriental, Java e China Setentrional. Embora não pertencentes a espécies Sapiens ,compartilhavam do gênero,o homem de Java,chamado de Pitecantropos Erectus, Pithecantropus Robustus e Pithecantropus Modjokertensis.O homem de pequin(Sinanthropus Pekinensis),raças situadas ao norte que será chamada de Homo Erectus Pekinensis.Os restos do Homo Erectus encontradas em camadas geológicas difíceis de serem datadas com a seqüência padronizada européia.Hipoteticamente são atribuídos ao pleistoceno(glaciação de Mindel ou período interglacial( Mindel-Riss).A Possivelmente do segundo(Mindel-Riss),ou terceiro glacial(Riss) na Europa.Representado por mais de 40 fragmentos,dão um conjunto de seu esqueleto.O material referente ao homem de Java é bem menor,mas o suficiente para estabelecer certos pontos.O Homo Erectus andava sem duvida ereto,seu fêmur idêntico ao fêmur do homem moderno,seus cérebros eram maiores que os dos Australopitecos.

Os pré-sapiens e os Pré- neanderthalenses. No ultimo período glacial (würm), a Europa era habitada pelos neanderthalenses, antes deles, imagina-se que residia na Europa outra raça mais semelhantes ao homem moderno,que apareceu,desapareceu e reapareceu. Restos do Homo Sapiens foram encontrados em Ehringsdorf e em Stenheim na Alemanha,em Swanscombe próximo a Londres,Fontechevade na França central e em Saccopastore,perto de Roma( os restos de Saccopastore podem pertencer a um neanderthal).A maioria desses achados pertencem ao período glacial (Riss-Würm),acompanhados de inventos de pedra primitivos.Acredita-se que com esses fragmentos tenha se conseguido chegar perto do homem moderno,Homo Sapiens.Os homens de Ehringsdorf ,Stenheim e Saccopastore são chamados de pré-neanderthalenses e os de ,Fontechevade e Swanscombe,são chamados de pré-sapiens(Boulee Vallois 1957).Em Java numa camada geológica mais recente ,encontrados cinco crânios conservados e mais seis fragmentos,que podem ser atribuídos ao Homo Sapiens.Com grande capacidade craniana e traços do homo erectus,levanta-se a hipótese de que o Homo Erectus,teria se transformado em Java no Homo Erectus Soloensis,e este por ultimo nos atuais aborígines da Australianos.

A raça de Neanderthal. O gelo predominava na Europa durante a ultima glaciação (Würm),partindo da Escandinávia ,parte norte da Alemanha,centro-sul da Rússia,e norte da Inglaterra.Em reação ao rigoroso clima em que o ambiente se encontrava se formou uma raça,Homo sapiens neanderthalenses,descobertos em 1856 em Neanderthal,perto de Düsseldorf,Alemanha.Foram encontrados restos na França,Belgica,Espanha,Italia,Tchecoslovaquia,Ioguslavia,Palestina,Criméia,Pérsia(Kurth 1960b) e sul do Turquestão.Provavelmente a forma de fóssil humano mais bem conhecido,além do Homo sapiens sapiens.O homem de neanderthal era baixo e atarracado,cabeça grande,capacidade craniana de 1.450cm³,mandíbula forte face bem desenvolvida,sem queixo e grandes dentes.Supõe-se que eram curvados,mas a discordâncias em torno disto,viviam em cavernas,tinham conhecimento do fogo e produziam armas rústicas com pedras,eram caçadores e usavam peles de animais como vestes.

De onde veio o Homo sapiens?O Homo sapiens, era um viajante e colonizador, se pergunta onde, como e quando ele surgiu. Não se sabe o bastante para uma resposta parcial.Uma vez que a espécie difere em vários genes,uma nova espécie não pode aparecer por mutação numa certa data e local.Surgem gradualmente,pelas múltiplas ocorrências mutacionais que ocorrem ou ocorreram em épocas diferentes,e as espécies não surgem como indivíduos separados ,mas como populações.Todas as espécies do gênero Homo constam na arvore evolutiva humana,mas a medida que algum apresenta uma particularidade ausente no homem moderno,tona difícil encarar uma forma como ancestral direto.Esse tipo de interpretação daria ao homem muitos parentes colaterais,mas nenhum progenitor.Provavelmente teve origem num país,que não houve descoberta de fósseis humanos,o que torna essa hipótese facilmente aceitável.

O que é uma espécie? Podemos definir espécie?Homo sapiens é uma única espécie biológica. Não teria como surgir da união de duas ou mais espécies,mesmo levando em conta o quanto foi paralelo seu desenvolvimento.Espécies surgem de raças por processos de divergências graduais.Devem-se encontrar espécies distintas,para serem consideradas da mesma espécie ou não,podendo serem consideradas de outra espécie.A classificação portanto é livre.

Isolamento reprodutivo. Quaisquer agentes que diminuam ou impeçam a permuta de genes entre espécies, são chamados de mecanismos de isolamento reprodutivo. É necessário apontar que esse tipo de mecanismo não ocorre em todas as espécies,qualquer mecanismo é bastante forte para isolar uma espécie,mas a separação é obtida pela combinação de vários mecanismos que se reforçam.Existe um ponto na linha evolutiva em que sistemas geneticamente abertos(raças) transformam-se em sistemas geneticamente fechado(espécies).Isolamento reprodutivo e fechamento de sistema genético,tona irreversível a evolução.

Raças e espécies dos homens fósseis. Novas descobertas não só acrescentaram nova s formas,mas também alteram interpretações de anteriores.Reconhecidos como dois gêneros Homo e Australopithecus.Classificar como categoria é de livre escolha,apenas se define como importante,que são fenômenos biológicos.Dobzhansky(1944a) e Mayr(1950),sustentavam a hipótese que só existia uma espécie em todo o globo numa determinada época da historia evolutiva.Demostrado por Robinson(1954),que duas espécies viveram na mesma época,mas essa hipótese se matem apenas no gênero Homo.O Australopithecus por ter adotado um modo de vida,passou a depender da fabricação de ferramentas ,ganhando o gênero de Homo.Falta provas de quando e onde ocorreu essa transformação de Australopithecus para Homo.Usavam também ferramentas os Australopithecus de sterkfotein, Australopithecus Transvaalensis e Australopithecus Robustus boisei,significa dizer que,mais de uma espécie tentaram um novo modo de vida.Em relação a tempo,mais provável que tenha sido no estagio Villafranquiano do Pleistoceno.A forma de vida bem sucedida provavelmente se multiplicou e se propagou pelas regiões .

Origens monofiléticas ou polifiléticas. Muitas duvidas a cerca da evolução perdura,em relação de que o homem descende de uma ou varias raças de macacos.Não se pode negar que a raça humana contenha todos os elementos de vindos da maioria ou todas as raças fósseis do Homo erectus e Homo sapiens,embora possamos depender de apenas uma raça primitiva,tendo desaparecido todas as demais.Há 35.000 ou 40.000 anos atrás,na Europa,apareceram homens cuja estrutura corporal era semelhante a do homem moderno,classificados como Homo sapiens sapiens.Há 24.000 anos o homem moderno povoou o continente australiano e americano,tomou-se formas mundial sua distribuição.Suas ferramentas de pedras encontradas em vários lugares,isso indica a passagem do homem em determinado local.Na Europa,África e Ásia ocidental e na maior parte da Índia,foram encontradas ferramentas de pedras milenares,como machadinhas,laminas e rachadores de pedra,ambas as ferramentas da metade do pleistoceno.Outras armas encontradas são grosseiras,cutelos de pedra e ferramentas de devastar,estas por suas vez encontradas em maior quantidade,assim se relaciona que a distribuição de raças ocidentais e orientais,nos remete que descendemos das raças ocidentais.

2 comentários:

  1. eu gostaria de saber aonde foram encontrados o fossil mais antigo do brasil e do mundo? vc poderia me ajudar? bjos e brigada

    ResponderExcluir
  2. Olá Tina

    Há controvérsias. Quanto ao mais famoso desse time não restam dúvidas: é uma mocinha de 20 anos e 1,20 metro de altura, provavelmente morta por um crocodilo, e que passou cerca de 3,2 milhões de anos sob as areias da Etiópia até ser descoberta em 1974.

    Durante algum tempo, Lucy, essa Australopithecus afarensis, foi tida como nossa Eva. Mais recentemente, uma equipe liderada pelo paleontólogo Yohannes Haile-Selassie, da Universidade da Califórnia, encontrou restos de indivíduos que viveram nessa mesma região da África, também há 3,2 milhões de anos. A novidade é que esses foram classificados como sendo de uma subespécie primitiva, batizada de Ardipithecus ramidus kadabba. Depois surgiu, no Quênia, o fóssil do crânio de alguém que viveu há cerca de 3,5 milhões de anos - 200 000 anos antes de Lucy e seus contemporâneos, portanto.

    Finalmente, de novo no Quênia, encontraram restos de uma criatura que teria vivido há 6 milhões de anos e representaria assim o mais antigo hominídeo já identificado. Segundos seus descobridores, trata-se de uma nova espécie, que recebeu o nome de Orrorin tugenensis. Mas o achado vem sendo questionado por outros cientistas, para quem o Orrorin pertenceria a uma espécie completamente diferente, sem nenhuma relação com a nossa. Convém aguardar os próximos velhos capítulos da história.

    O esqueleto de Lucy, que deixou de ser o fóssil mais antigo mas continua famosa, e como seus antecessores anão pertencem nem mesmo à classe do australoptecus, vc pode dizer que ela ainda é o fóssil humano mais antigo.

    Com cerca de 13 mil anos de idade, o crânio é mais velho que o de Luzia, fóssil de 11.500 anos achado no Brasil

    Desenterrada em MG, ela era considerada até hoje como o mais antigo fóssil humano encontrado no continente.

    A descoberta confirma as novas teorias sobre o povoamento das Américas, levantadas quando o crânio de Luzia foi encontrado.

    O povoamento teria ocorrido há, pelo menos, 13 mil anos, muito antes do que se costumava imaginar. E não teria começado pela América do Norte, como se acreditava. Também demonstra que os primeiros habitantes do continente não foram os nativos indígenas.

    A reconstituição da face de Luzia demonstrou que ela tinha traços negróides. O estudo das características dos ossos do crânio descoberto no México, que também pertenceu a uma mulher, sugere que ela descende de um povo que viveu onde atualmente é o Japão e que teria alcançado o continente pelas ilhas do Pacífico.

    Segundo a responsável pela datação do crânio, Silvia Gonzalez, da Universidade de John Moores, de Liverpool, os americanos nativos têm o rosto mais arredondado e o queixo mais largo.

    Crânio estava em museu, sem datação

    O crânio fazia parte de uma coleção de 27 fósseis humanos descobertos nos arredores da Cidade do México e guardados no Museu Nacional de Antropologia, no México, há quase cem anos.

    'O museu sabia que os crânios tinham um valor histórico significativo, mas eles ainda não haviam sido cientificamente datados', contou Silvia Gonzalez. 'Decidi analisar amostras de cinco esqueletos usando as mais modernas técnicas de datação.'

    Na avaliação de Silvia, o México pode ter sido um local a partir do qual os homens se espalharam pelas Américas.

    'Nosso próximo passo é examinar fósseis encontrados na Califórnia', disse Silvia. 'Queremos estudar seu DNA para saber se são relacionados aos encontrados no México.'

    Outros crânios encontrados no mesmo sítio onde Luzia foi descoberta, na região de Lapa Vermelha, em MG, podem ser ainda mais antigos que o mexicano.

    Espero ter ajudado.

    ResponderExcluir