segunda-feira, 2 de maio de 2016

PLANO DE AULA - TEMA AVALIAÇÃO

Métodos de ensino: método expositivo; método de trabalho independente; método de elaboração conjunta e método de trabalho em grupo.
Objetivo geral:
Compreender a avaliação escolar
Objetivos específicos:
 Conceituar avaliação
 Indicar as funções de avaliação;
 Identificar os tipos de avaliação;
 Discutir os instrumentos de avaliação.
1.Introdução + Motivação=10 minutos (Elaboração conjunta e expositivo)
1.1 Os alunos corrigem o TPC e fazem revisão da aula passada e, o professor intervirá caso necessário
 Correção do TPC
 Revisão da aula passada
2. Mediação e assimilação do conteúdo novo=50 minutos (métodos de ensino =Expositivo e elaboração conjunta)
2. O professor apresenta o novo tema aos formandos:” A AVALIAÇÃO”
2.1. Após a apresentação do novo tema os formandos dão o conceito de avaliação e a formadora intervirá caso necessário
Segundo MEC (2004), avaliação é um processo de recolha e interpretação sistemática de informações que implicam juízos de valor com vista a tomar decisões.
Na perspectiva de DUARTE & BASTOS (2012/2013), avaliação educacional é uma atividade que deve percorrer os processos educativos, engloba a dimensão qualitativa, não descurando a quantitativa, identificando os pontos fortes e os constrangimentos, visando melhorar e garantir a qualidade. Nesse sentido, são formados juízos de valores e tomadas decisões, comparando o que foi proposto com o que é alcançado.
De acordo com LIBÂNEO (2008), avaliação é uma tarefa didática necessária e permanente do trabalho docente, que deve acompanhar passo a passo o processo de ensino e aprendizagem.
Ainda na perspectiva de LIBÂNEO (Ibid.), a avaliação é uma tarefa complexa que não se resume á realização provas e atribuição de notas. A mensuração apenas proporciona dados que devem ser submetidos a uma apreciação qualitativa. A avaliação assim cumpre funções pedagógico-didáticas, de diagnóstico e de controlo em relação as quais se recorre a instrumentos de verificação do rendimento escolar.
2.2. Em seguida, os formandos indicam as funções de avaliação e a formadora intervirá para dar resumo e corrigir os erros que forem constatados.
Funções da avaliação
Função pedagógica
Se refere ao papel da educação no cumprimento dos objetivos gerais e específicos da educação escolar. Cumprindo a sua função didática, a avaliação contribui para a assimilação e fixação. E depois a correção dos erros cometidos, possibilita o aprimoramento, ampliação e aprofundamento de conhecimentos e habilidades e, desta forma, o desenvolvimento cognitivo.
Função diagnóstica
Permite identificar o progresso e dificuldades dos alunos, a atuação do professor que por sua vez determinam as modificações do processo de ensino, para melhor cumprir com as exigências dos objetivos.
A avaliação diagnóstica ocorre em três momentos: no inicio da aula, onde se verificam as condições prévias dos alunos de modo a prepará-los para a matéria nova; durante o processo de mediação e assimilação é feito o acompanhamento do progresso dos alunos, apreciando os resultados obtidos, corrigindo falhas, esclarecendo dúvidas estimulando-os a continuarem a trabalhar até que alcancem resultados positivos. Ao mesmo tempo essa avaliação fornece ao professor informações sobre como ele está conduzindo o seu trabalho, no final de uma unidade didática, trimestre ou ano letivo.
Função de controle
A função de controlo se refere aos meios de frequência das verificações e de qualificações dos resultados escolares, possibilitando o diagnóstico de situações escolares. Há um controlo sistemático e continuo que ocorre no processo de integração professor-aluno, no decorrer das aulas, através de uma variedade de atividades, que permitem ao professor observar como os alunos estão se conduzindo na assimilação de conhecimentos, habilidades e no desenvolvimento das capacidades mentais.
Há que salientar que estas três funções funcionam num sistema de interdependência de maneira que não se possa restringir a avaliação a mera classificação numérica aos conhecimentos dos alunos, que vai determinar a sua seleção ou apuramento para níveis subsequentes do ensino.
Segundo Claudino Pilleti, a avaliação, se desenvolve, em diferentes momentos do PEA, com objetivos distintos. No inicio do processo, temos a avaliação diagnóstico (tem função diagnóstica) que é utilizada para verificar:
Conhecimentos que os alunos têm;
Pré-requisitos que os alunos apresentam;
Particularidades dos alunos.
Aplica se este tipo de avaliação no inicio de cada unidade, semestre, trimestre ou ano letivo.
Ao longo do processo de ensino e aprendizagem temos a avaliação formativa que tem uma função controladora. São os seguintes propósitos da avaliação formativa:
Informar o professor e o aluno sobre o rendimento da aprendizagem;
Localizar as deficiências na organização do ensino.
Ao longo do processo de ensino e aprendizagem temos a avaliação somativa, que tem a função classificatória, isto é, classifica os alunos no fim de um semestre, trimestre, ano, curso ou unidade, segundo os níveis de aproveitamento.
Objeto de avaliação
O objeto de avaliação pedagógica corresponde aos três grandes domínios do comportamento humano: Domínio cognitivo: relativo ao saber, ao conhecimento em si, em termos de conceitos, de teorias e de informação técnico-científico sistemático;
Domínio efetivo: que diz respeito ao saber ser e saber estar, implicando determinados valores e atitudes de conduta;
Domínio psicomotor: relacionado com o saber fazer, ou seja, com as habilidades de diversa ordem, que ditam uma certa orientação do individuo, em termos de intervenção prática no meio.
2.3. Depois da atividade acima os formandos identificam os tipos de avaliação e a formadora intervirá caso necessário.
Tipos de avaliação
Avaliação diagnóstica
É um tipo de avaliação que tem como objetivo fundamental, proceder a uma análise de conhecimentos e aptidões que o aluno deve possuir num dado momento para poder indicar novas aprendizagens.
A avaliação diagnóstica é de suma importância, pois é ela que vai indicar o grau de dificuldades que a nova aprendizagem poderá ter. Saber-se-á qual é a medida de aprendizagem a ser usada, pois a medida que indica quanto o aluno deve aprender e ao próprio aluno, as suas possibilidades.
 Avaliação formativa
A avaliação formativa, acompanha todo o processo de ensino e aprendizagem, identificando as aprendizagens bem sucedidas das que levantaram dificuldades que se possa dar remédio a estas últimas a conduzir a generalidade dos alunos a proficiência desejada e ao sucesso nas tarefas que realizam.
É um tipo de avaliação que ocorre enquanto o aluno está aprendendo, enquanto está executando as atividades. Destina-se a observar a que a que o aluno, para ver como faz e orientá-lo para fazer tudo certo, sem, todavia impor nada, pois errado também se aprende. Assim o aluno aprende de forma correto e o professor evita que o aluno cometa erros e não haja desperdício de tempo.
 Avaliação somativa
Esta avaliação procede ao balanço de resultados no final de um segmento de ensino e aprendizagem, acrescentando novos dados aos recolhidos pela avaliação formativa, contribuindo para apreciação mais equilibrada do trabalho realizado. Esta avaliação é realizada para fazer um balanço do aproveitamento dos alunos, pelo menos em termos de objetivo cognitivos e algumas habilidades mentais. Normalmente é feita através de provas escritas. É importante porque indica ao professor o grau de alcance dos objetivos e também permite ao professor fazer a análise de eventuais causas do insucesso dos alunos. Quanto mais frequentes forem as avaliações, mais rapidamente podem ser removidos os problemas que impedem os problemas que impedem uma melhor aprendizagem.
2.4. Após a atividade acima os formandos discutem os instrumentos de avaliação e a formadora intervirá para remediar possíveis erros.
Instrumentos de avaliação
a)      Para a avaliação diagnóstica, por exemplo, pode-se realizar o pré-teste, o teste diagnóstico, a ficha de observação ou qualquer outro instrumento elaborado pelo professor.
b)     Para avaliação formativa, são as observações, os exercícios, os questionários, as pesquisas.
c)      Na avaliação somativa, os dois tipos de instrumentos mais usados são as provas objetivas e as provas subjetivas. Se por um lado, as provas objetivas têm vantagens de precisão e clareza, elas são mais limitantes do que as provas subjetivas, pois estas oferecem mais chance ao aluno para colocar a sua opinião, formar conceitos e generalizações.
 3. Domínio e consolidação = 20minutos (método de trabalho em grupo)
Para verificar o domínio e consolidação dos conteúdos acima tratados os formandos em grupos respondem o seguinte questionário por escrito e a formadora intervirá caso necessário
Questionário
1 O que se entende por avaliação?
 Avaliação é uma apreciação qualitativa sobre os dados relevantes ao processo de ensino e aprendizagem que auxilia ao professor a tomar decisões sobre o seu trabalho.
2.Indique as funções de avaliação
Função pedagógica didática;
Função diagnóstica;
Função de controle.
3. Descreva a avaliação formativa.
A avaliação formativa, acompanha todo o processo de ensino e aprendizagem, identificando as aprendizagens bem sucedidas das que levantaram dificuldades que se possa dar remédio a estas últimas a conduzir a generalidade dos alunos a proficiência desejada e ao sucesso nas tarefas que realizam.
4. Verificação= 10 minutos (método de ensino= trabalho independente)
4. Finalmente para verificar o nível de compreensão dos conteúdos dados os formandos irão responder as seguintes perguntas em casa.
1. Explique como ocorre a avaliação somativa no processo de ensino e aprendizagem
2. Indique 4 procedimentos indispensáveis para uma boa prova oral
3. Em que consiste o teste de correspondência?
TABELA RESUMO
Tipo
Função
Diagnóstico
Diagnóstica
Formativa
Controladora
Somativa
Classificatória
Bibliografia
1.DUARTE & BASTOS, caderno de atas de comunicações das jornadas da educação 2012/2013
2.MEC, Manual de apoio à avaliação Pedagógica, 2004

3.LIBÂNEO, Didática, são Paulo Cortez, 2008

Nenhum comentário:

Postar um comentário